Menu

Meus textos

PASSOS, Luiz Augusto: “José Martí” Homenagem ao Trabalho de Jair Reck:

  1. SATO, Michèle & PASSOS, Luiz A. Biorregionalismo: identidade histórica e caminhos para a cidadania. Caracterização projeto Mimoso, com ênfase no biorregionalismo e fenomenologia (Palavras-chave: biorregionalismo, fenomenologia, pesquisa).
  2. SATO, M. e PASSOS, Luiz A. Aato to kankyou kyouiku . Capítulo de Livro publicado em Kyoto (JAPÃO). EDS (Jizoku kanou na kaihatsu no tame no kyouiku) wo tsukuru – chiiki de hiraku mirai he no Kyouiku. Organizadores: UBUKATA, H., KANDA, F. e OOMORI, S. 1ed. Kyoto: Minerva-shobo Press, 2010, v. 1, p. 213-233. ISBN 9784623057665. O capítulo trata da Interlocução entre Educação Ambiental numa perspectiva da Arte de orientação surrealista que permitiria diálogo intercultural Brasil-Japão com a técnica “Belo-Cadáver”.
  3. PASSOS, Luiz A & SATO, Michèle. O currículo nas sendas da fenomenologia Merleau-pontyana. EA nos currículos fenomenológicos, no marco do projeto EDAMAZ Educação Ambiental(Palavras-chave: fenomenologia, currículo, estratégias da EA)

  4. SATO, Michèle & PASSOS, Luiz A. Versos e reversos da diversidade. Texto que reivindica a pluriculturalidade e as estratégias para se conviver com a diferença (Palavras-chave: pluriculturalidade,ética, ambientalismo)

  5. MALDONADO, Carlos; KEIM, Ernesto; PASSOS, Luiz A.; SATO, Michèle. Desejos ambientais: buscando a liberdade nas vicissitudes de Eros e Thanatos. Com âncoras em Goethe, colhe a fenomenologia e destaca o ambientalismo na perspectiva planetária (Palavras-chave: ambientalismo, literatura, caos).

  6. PASSOS, Luiz A & SATO, Michèle. Estética da Carta da Terra: pelo prazer de (na tensividade) comviver com a diversidade! Resgate estético e ético do ambientalismo, com foco central na Carta da Terra (Palavras-chave: estética, ética, carta da Terra). PESQUISE NO GPEA DE MICHÈLE SATO:

  7. SATO, Michèle; PASSOS, Luiz A. Pelo prazer fenomenológico de um não-texto. In GUIMARÃES, Mauro (Orgs.) Caminhos da Educação Ambiental – da forma à ação. São Paulo: Papirus, 2006, 17-30. Palavras-chave: fenomenologia – surrealismo – René Magritte.**
  8. *PESQUISE NO GPEA
  9. SATO, Michèle; PASSOS, Luiz A. Notas desafinadas do poder e do saber – qual a rima necessária à educação ambiental? Contrapontos, Itajaí, v.1, n.3, 9-26, 2003. Um texto explicativo sobre as dimensões da multi, inter e transdisciplinaridade, inclusive com figuras elucidativas. Utilizando a metáfora de uma orquestra, o texto reivindica espaços coletivos de construção da EA, inclusive através da transversalidade. PC: interdisciplinaridade – diálogos de saberes – comunidades de aprendizagens. Texto na Revista Contraponto da UNIVALI:https://www6.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/700/553

  10. AMARAL, Edna Fernandes & PASSOS, Luiz Augusto. UTOPIA DA EDUCAÇÃO POPULAR SAUDADE OU ESPERANÇA? Texto de diálogo com o Genesis Judaico, Bíblico, na perspectiva de analogia ao papel da Utopia, como centralidade na luta dos movimentos sociais.
  11. PASSOS, Luiz Augusto. A centralidade do tempo e da temporalidade para a Pesquisa em Educação. O artigo corresponde a uma fala acerca do conceito de tempo e temporalidade na confecção e formatação da ação humana, envolvendo a pesquisa. Trata-se de chamar à luz a dimensão temporal, por vezes invisibilizada nas suas determinações sobre os sujeitos e as paisagens.
  12. PASSOS Luiz Augusto & BORDEST, Suise, Monteiro Leon. Percepção Ambiental os Espaços da Cultura: Centro Histórico de Cuiabá.

  13. PASSOS, Luiz A. Memorial [da festa] de um Pároco de uma aldeia-quase-cidade.
  14. PASSOS, Luiz Augusto. Um outro Natal, é possível?!

  15. PASSOS, Luiz Augusto. Bibliografia Comentada. Curso Gestão do Conhecimento e Políticas Públicas .
  16. STERING, Silvia Maria & PASSOS, Luiz Augusto. Ritmos e tons das ações instituintes da educação popular. Um olhar fenomenológico da Orquestra de Flautas Meninos do Pantanal, de Cuiabá/MT . O presente artigo foi realizado como um estudo do conceito “ações instituintes” numa pesquisa de uma experiência de Educação Popular não formal, realizada com meninos e meninas da periferia que viveram momentos inéditos de suas vidas como músicos de uma orquestra que com eles atravessou o oceano. A categoria “ações instuintes” foi recolhida da obra de Célia Frazão  Linhares (UFF)

  17. PASSOS, Luiz Augusto. Os caminhos do “Pensar” para quem quer transformação: Fundamentos de Filosofia. Programa de Formação da CNTE – Eixo II:Formação de Dirigente Sindicais. Rio Janeiro: Esforce/EdUfmt, 2009.                                       1. Filosofia o que é? 2. Platão: As lições da alegoria da caverna – olhar crítico por sobre as aparências. 3.Epicuro: Uma educação para a alegria. 4. Thomas Morus: Utopia e projetos – uma educação radical para a intervenção. 5. I. Kant: Da dependência para a autonomia – educação como prática da liberdade. 6. Hegel: O desejo do desejo. 7. Marx: Não trabalhamos porque somos humanos, somos humanos porque trabalhamos. 8. Lévinas: Educar na perspectiva das diferenças e da outreidade. 9. Merleau-Ponty: A palavra que corporifi ca o mundo e antecede o pensamento. 10.  Jean Paul Sartre: Dos covardes e safados à solidão solidária. 11.Há muitas lógicas na nossa vã filosofia. 12 A (In)explicável invisibilidade das mulheres na filosofia ocidental. 12. Conclusão: Afinal, para que filosofia?
  18. ROSSI, Roberto. Fragmentos históricos de Fé e Alegria

18.   SATO, Michèle & PASSOS, Luiz Augusto. Pelo prazer fenomenológico de um não texto.

19.  PASSOS, Luiz Augusto. O filósofo e as Itinerâncias da Filosofia

20. PASSOS, Luiz Augusto. A História branca é a história da barbárie

21. Inês Assunção de Castro Teixeira (UFMG) &José de Souza Miguel Lopes (Orgs.): A mulher vai ao cinema 2ª ed. Trabalhos e autores: PASSOS, Luiz Augusto & SATO, Michèle. As horas. In www.autenticaeditora.com.br (ISBN:8575261649), p. 205-217.

22. PASSOS, Luiz Augusto. Síndrome da temporeidade: nossa derrocada ou nossa resistência? Uma (re)leitura de BURNOUT.

23. “O Eu e o outro” GRANDO, Beleni Salete & PASSOS, Luiz Augusto (Orgs). O Eu e o Outro na escola: Contribuições para incluir a história e a cultura dos povos indígenas na escola. Cuiabá: EdUFMT, 2010. 168 p. ISBN 978.85-327-0343-9. A presente publicação de iniciativa do Grupo de Pesquisa COEDUC, da UNEMAT com a Rede CEDES/SNDEL pretende contribuir à implantação na rede pública do conhecimento necessários da história e da cultura indígena no Currículo. AUTORES EM ORDEM ALFABÉTICA: ALMEIDA, Arthur José Medeiros; FASSHEBER, José Ronaldo Mendonça; FERREIRA, Maria Beatriz Rocha; FRANÇA. Cecília de Campos; FREITAG, Luciane da Costa; GAUTHIER, Jacques; GRANDO, Saléte Beleni; NASCIMENTO, Adir Casaro; PASSOS, Luiz Augusto; SECCHI, Darci; TAGLIARI, Itamar Adriano; URQUIZA. Antônio Hilário Aguilera; VIEIRA, Carlos Magno Naglis; ZOIA, Alceu. Este livro é uma coletânea de textos que dialogam com o leitor sobre conceitos fundamentais para pensarmos a relação com o outro e a Lei 11.645/2008. Trata da educação, do jogo, do esporte e da saúde indígena.
24. Passos, Luiz Augusto. “Cultura: Flecha Humana e Cósmica que aponta o Caminho para os sentidos“. In O Eu e o Outro na escola: Contribuições para incluir a história e a cultura dos povos indígenas na escola. Cuiabá: EdUFMT, 2010. p. 21-40. ISBN: 978.85-327-0343-9.

[Baixar arquivo]

25. GRANDO, Beleni Salete (Org.)  “Jogos e Culturas Indígenas: possibilidades para educação  intercultural na Escola”. Apresenta saberes e práticas corporais dos indígenas do Brasil. Os jogos e  práticas corporais são formas lúdicas de educar o corpo/pessoa em sua totalidade. Um material didático  para a temática indígena na escola e a Educação Intercultural.Este livro é uma coletânea de textos que  dialogam com o leitor sobre conceitos fundamentais para pensarmos a relação com o outro e a Lei  11.645/2008. Trata da educação, do jogo, do esporte e da saúde indígena.

[Baixar o arquivo]

26. REZENDE, Maria Aparecida. LEEUWENBERG, Frans & PASSOS, Luiz Augusto. “Oficina de      Alfabetização para os professores Xavante da Terra Indígena Pimentel Barbosa” In Jogos e  Culturas Indígenas: possibilidades para a Educação intercultural na escola.  Cuiabá: EdUFMT, 2010. p. 153-166. ISBN: 978.85-327-0319-4

27. REZENDE, Maria Aparecida e PASSOS, Luiz Augusto. O que acontece no cotidiano das mulheres Xavante das aldeias Pimentel Barbosa e Marãiwatsede. Seminário Internacional Fazendo o Gênero 9.

28. Dicionário Paulo Freire: Possuo neste Dicionário da Iª Edição: (05) cinco verbetes, a saber: 1.Trama“; 2.”Leitura do mundo“; 3.”Tempo“; 4.”Tema Gerador“; 5.Futuro, Futurível

“Dicionário Paulo Freire” Na segunda edição Revisada e Ampliada: Verbete: Acresce aos cinco verbetes da Iª Edição, o Verbete: “Fenomenologia

Este livro reúne 230 verbetes sobre a obra de Paulo Freire, conhecido pelo caráter transformador de sua pedagogia e pela atuação marcada pela busca de uma sociedade mais justa por meio de uma educação humanizadora. Foi para compilar fragmentos das práticas, dos pensamentos e dos sonhos de Paulo Freire que 104 estudiosos(as) produziram este dicionário de verbetes fundamentais para se pensar a educação hoje.

“Uma leitura atenta de Pedagogia do oprimido revela a construção de uma teoria e de uma proposta de prática pedagógica de vocação popular e emancipatória fundada em um encontro de diversidades.”
ANDARILHAGEM|Carlos Rodrigues Brandão

“Como relatado no livro Cartas à Guiné-Bissau: registro de uma experiência em processo, a autoridade moral de Paulo e a clareza de suas ideias influenciaram os dirigentes dos movimentos de libertação no poder na busca de uma relação inédita entre cultura e poder.”
Instituto de Ação Cultural (IDAC)|Rosiska Darcy de Oliveira
“De muitas maneiras, Paulo incorporava o relacionamento delicado e muitas vezes problemático entre o pessoal e o político. Sua própria vida foi um testemunho não somente de sua crença na democracia, mas também da noção de que nossa vida tinha de se aproximar o máximo possível de exemplificar as relações e experiências sociais que atestavam um futuro mais humano e democrático.”
DEMOCRACIA|Henry Giroux

“O gosto pelas metáforas Paulo Freire diz que tem e é bom. Pois lhe permite andar pelas ruas da história, ver e ouvir com nitidez o contorno sonoro da fala do camponês, livre das esquinas arestosas que nos fere. Paulo é dono de um dizer que leva a gente a pensar. É a sua maneira corajosa de amar. Ele chega e anima: o tempo é fundante, o inédito é viável, e nos encoraja contra o cansaço espiritual, o medo da aventura, a esperança vazia, porque aprendeu que desse cansaço nasce uma anestesia histórica.”
POESIA|Thiago de Mello.

29. Michèle Sato, Carlos Alberto Maldonado e Luiz Augusto Passos. http://www.earthcharterinaction.org/invent/images/uploads/ENG-Sato.pdf

30. CÉZAR, Neura & PASSOS, Luiz Augusto. Violência Simbólica nos rituais legitimados dos processos escolares: Fenômeno Bullying no ambiente escolar. Acesso ao texto.

31.  PASSOS, Luiz Augusto, Maria Soave, Odja Barros, Paulo Ueti e Tea Frigerio. O Calor que nos une cura nossos corações. CEBI:ISBN: 9788577331208.

Saúde é mais do que ausência de doença…saúde é semente, flor e fruto! É fruto do calor que une corações! O livro reúne experiências e reflexões bíblicas de pessoas que convivem com saúde e doença no seu cotidiano. A amada de cantares (Cântico dos Cânticos), a mulher siro-fenícia, o paralítico à margem da piscina e outras personagens bíblicas emprestam suas histórias para que as cinco pessoas autoras deste livro nos ajudem a entender o poder da palavra, que adoece e que cura, que escraviza e que liberta.*

.


*32. Passos, Luiz Augusto. PSICOHOMEOPATIA – Aventura de Encontrar-se no Outro..

33. PASSOS, Luiz Augusto. Educação Popular: Um projeto de Rebeldia e alteridade. O presente texto à luz da pedagogia paulofreiriana dialoga com os o anticógito camusiano: “Eu me revolto, logo nós existimos!” (L’Home revolté Albert Camus). Clique e Acesse o texto.

34. PASSOS, Luiz A. Introdução à História da Idade Média


1 thought on “Meus textos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *