Menu

Por um Instituto de Pesquisas, Publicações em Educação

Nenhum Comentario
Pastor Teobaldo Witter

Pastor Teobaldo Witter

POR UM INSTITUTO DE PESQUISAS, PUBLICAÇÕES E EDUCAÇÃO

Lembro-me de uma estoria antiga. Resumidamente, se trata do seguinte: Havia dois estrategistas em marqueting que possuiam um grande armazém cheio de cocos. Eles estavam preocupados em oferecer seus belos cocos para a população. Chamaram uma enorme carreta motorizada que servisse de base de apoio para a exposição e distribuição dos cocos numa feira popular. Enquanto buscavam estratégias para a distribuição, uma criança, ajudada por sua mãe, tomou seu carrinho de brinquedo, colocou nele alguns cocos e caminhou entre o povo. E dizia: “olha o coco, fresquinho e bom para a sua saude”. As pessoas se deliciavam com aqueles cocos. Entre uma ida e outra ao seu depósito, a criança, empurrando e recarregando o seu carrinho de brinquedo, colocou todos os cocos à disposição da população. Envolveu todos e todas ali presentes, com os cocos fresquinhos e bons para a saude. Todos e todas beberam e se encantaram. Enquanto isso, encerrada a feira popular, os estrategistas ainda não haviam decidido o que fazer para descer os cocos daquela enorma carreta e colocá-los à disposição

A pergunta é sempre mesma. Para que servem as muitas pesquisas que fizemos em Mato Grosso, na área social? As nossas pesquisas locais estão ajudando em alguma coisa a melhorar qualidade vida das pessoas e da terra? Quem sabe que nossa universidade e o movimento social tem saber acumulado, ótimas pesquisas já feitas e em andamento? Há alguma conecção ética entre teoria e prática? No mundo da pesquisa, encontro teses chocantes elaboradas por gente daqui. Mas no mundo da educação, no mundo popular repetimos conceitos elaborado por gente que nem sequer sabe que existimos. Não nos conhece, nunca dialogou conosco. E tem muitas outras perguntas nessa área.

Pensando nisso, um grupo pequeno de pessoas há algum tempo está conversando sobre a constituição de um instituto. Entrementes, são diálogos pontuais, mas temos várias pessoas interessadas. Pensamos em fazer pesquisas, aproveitar pesquisas já feitas, elaborar materiais científicos em versões populares, fazer conecção ética entre teoria e prática, divulgar textos e teses sobre a cidadania, a segurança social, os direitos humanos, a vida digna, educar para a democracia, a liberdade e a cidadania, em Cuiabá, Várzea Grande, Mato Grosso, Brasil e setores além de nossas relações paroquiais.

Percebemos que já temos pesquisas feitas, porém, esquecidas e não divulgadas. Poderiam servir de base para trabalhos bem fundamentados, nos campos sociais e educacionais. Enquanto ignoramos nossas próprias histórias, nossas descobertas e nossas fontes, contuamos a nos alimentar de fontes de outras realidades, muitas vezes distantes e fora de nosso mundo real.

Pensamos que o nome pode indicar objetivos: INSTITUTO DE PESQUISAS, PUBLICAÇÕES, ASSESSORIAS E EDUCAÇÃO. Pensa-se que o instituto deveria ter a prioridade de trabalhar na área das Ciências Humanas: Sociais, Educacionais e Teológicas. Tem um grupo de pessoas que já estão dialogando. Mas a participação continua aberta para quem quiser integrar o instituto. Deveria ter pelo menos umas 20 pessoas. Não convidamos para reunião, porque desde outubro estamos ocupados com mil e uma coisas. Estamos planejando uma reunião para os próximos dias de fevereiro ou início de março, quando podemos nos reunir para conversar sobre ideias, objetivos e trabalhar a temática num diálogo conjunto de constituição do instituto.

Além da constituição do instituto, pensamos, também, em parcerias e convênios. Já temos alguns contatos. Mas devemos firmá-los e abrir mais o diálogo. Precisamos de meios. Por exemplo, precisamos de recursos para publicar e valorizar as descobertas. O primeiro é a constituição do instituto. Além da boa vontade, conhecimento já adquirido pelas pessoas do diálogo, precisamos estudar formas de buscar outros e diferentes meios. Deveriamos pensar sobre planejamento, trabalhos e sustentatabilidade do instituto.

Estamos lhe convidando para ajudar a pensar sobre o assunto. Este texto quer informar e convidar. Nos próximos dias lhe enviaremos um convite para participar de primeira reunião. Contamos com suas ideias e seu jeito de tratar do assunto.

Abraços,

Teobaldo Witter

.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *