Menu

Atividades dos Movimentos Sociais e Pastorais Sociais no Vaticano

Nenhum Comentario
Relação de Cuidado entre os que cuidam da terra com suas
mãos, e a devolução deste cuidado por parte da Terra. Razão
principal do Convite do Papa a João Pedro Stedile para um
Forum dos Movimentos e Pastorais Sociais no Vaticano pre-
parando sua Exortação Apostólica. As palavras do Papa gravadas
em celular é na verdade um Presente de Natal
Agradeço muito o envio deste Material pela companheira
Elizabeth Aracy Amarante <bethmyky@gmail.com
Passos
Caros amigos e amigas
do MST, dos movimentos sociais e das Pastorais no Brasil,
No inicio do mes de Dezembro estive no Vaticano participando de diversas atividades a convite da Pontifica Academia de Ciencias.     Por determinação do Papa Francisco, a Academia de Ciencias do Vaticano foi incumbida de realizar um seminario internacional para analisar a situação, causas e alternativas dos trabalhadores excluidos no mundo.
E fui convidado pessoalmente, mas evidente, em função da representatividade do MST e da Via campesina.   E desta forma demonstrou o reconhecimento do Vaticano, ao intenso trabalhdo que todos os movimentos sociais do mundo realizam na sua luta por uma sociedade mais igualitaria.
Estavam no seminario o corpo docente da Academia que é composto por alguns professores de universidades catolicas, Cardeais, membros da comissao Justiça e paz do Vaticano, e convidados especiais.
Entre os convidados estavam apenas dois movimentos socais da Argentina (Trabalhadores Maritimos, e trabalhadores catadores de material reciclavel, que se chamam de Movimento de trabalhadores exlcuidos), que são amigos do Papa há muitos anos.  E tambem convidaram os embaixadores no Vaticano dos principais países catolicos do mundo.    La estava tambem o embaixador brasileiro no Vaticano, Denis Fontes de Souza Pinto,  que se disse seguidor de Dom Helder Camara.
Como parte da metodologia historica da Pontifica Academia de Ciencias, procuram ouvir “os argumentos das diversas posições na sociedade,”.    Assim, o debate teve como palestrantes iniciais um companheiro do Movimento dos excluidos da argentina,  Jeffrey Sachhs, assessor do presidente da ONU para temas socio-economicos,  de uma professora Estadunidense especialista em educação,(esses dois com clara identidade neoliberal), um professor da universidade catolica de Roma, que fez uma reflexão a partir da filosofia da educação, e do ex-primeiro Ministro da Italia, o sr. Proddi, com posiçoes de centro-esquerda.
O seminario foi coordenado pelo Cardeal Turgson, do Senegal e presidente da Comissão Justiça e Paz
Depois seguiram-se os debates.
A realização do seminario sobre tema tão importante revelou por si só, como nas ultimas décadas o Vaticano estava ausente do interesse e dessa preocupação e que agora há mudanças!   E as posições e argumentos desenvolvidas, procuraram chamar atenção das verdadeiras causas da situação de pobreza, desigualdade socio-economica, que tem no capitalismo a causa principal de tantos seres humanos excluidos do acesso aos seus direitos e às necessidades basicas.
Certamente, eles ainda terão muitos debates pela frente.   E a publicação da Exortação apostolica do papa, que tambem se refere ao tema, será um estimulo ainda maior para que
a “inteligentzia vaticana”  siga pesquisando e compreendendo porque  um bilhao de seres humanos passam fome todos os dias, por que há tantos trabalhadores desempregados e por que os camponeses, povos nativos, indigenas e pescadores estão sendo expulsos de suas comunidades pelo capital.
E, um dos encamkinhamentos praticos já desse debate, que depois pudemos seguir articulando, através da Comissão de Justiça e paz do Vaticano, é de promovermos em 2014, um grande encontro de movimentos populares de todo mundo, para ai, sim levar a opiniao dos proprios representantes dos ttrabalhadores excluidos e dos movimentos sociais, sobre a tematica.     Nas proximas semanas estaremos por tanto, construindo a realização dessa conferencia internacional de movimentos populares a se realizar no Vaticano, por convocação do Papa Francisco.
Mensagem do MST ao Papa
Aproveitei a oportunidade de estar no Vaticano, para levar duas mensagens ao Papa Francisco.
A Primeira, mais simbólica,  nossa companheira Maritania Risso, assentada em Abelardo Luz-SC e  artista popular  preparou um belo quadro pintado com sementes.  Vide a foto anexa).
A segunda, entreguei através de emissarios proximos a ele, a carta que tambem segue anexa.
A Abertura do Papa Francisco ao tema dos mais pobres, da desigualdade social, a sua critica contundente ao sistema financeiro e ao capitalismo, já demonstram importantes mudanças em curso no Vaticano. Assim como já estão provocando reações dos eternos defensores do capital, como por exemplo a campanha da CNN dos EUA.
O Emissário que entregou ao Papa as mensagens, disse que ele gostou muito, e,  nos enviou  rosários abençoados, como sua recordação pessoal.
E tambem o emissario gravou em seu celular a mensagem abaixo, em que o Papa se refere ao trabalho e  aos membros da assembleia campesina.
Saí com a impressão de que o Papa terá muito trabalho pela frente, para fazer as mudanças necessarias, no Vaticano, no comportamento da Igreja.    Mas sinto que os trabalhadores e os mais pobres terão um aliado importante na sua luta contra a opressão e a exploração.
abraços a todos e todas
Joao pedro stedile

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *