Menu

violência contra voluntário nos jogos indígenas

Nenhum Comentario
Prezados, para informa-los sobre o que está na Rede Nacional de Cultura Popular, sobre trabalho voluntário nos Jogos Indígenas, repasso msg abaixo.
———- Mensagem encaminhada ———-
De: Leandro A. Oliveira <contatoleandroproducao@gmail.com>
Data: 11 de novembro de 2013 21:05
Assunto: [RCPT] FALTA CONSIDERAÇÃO DE RESPEITO A UM VOLUNTARIO NOS JOGOS INDIGINAS 2013.
Para: marcia.rollemberg@cultura.gov.br
Cc: gabinete@seel.mt.gov.br

FALTA CONSIDERAÇÃO E RESPEITO A UM VOLUNTARIO NOS JOGOS INDÍGENAS 2013.

Até onde vai o respeito pelo outro? Até quando o ensinamento cristão,
da doutrina nos ensinados dês do nosso nascimento, amais uns aos
outros ou não faça com o outro o que não queres que faça com você?

Pois bem, com esses questionamentos que narrarei meus dia de
VOLUNTARIO NOS JOGOS INDÍGENAS 2013.
Cheguei em Cuiabá, cidade sede de 2013 as 16hs, logo notei que não
havia ninguém do evento me aguardando, depois de uma hora localizei
junto a alguns indígenas 2 carros que estavam fazendo o transporte,
mais fui informado que eu não poderia ser conduzido para a sede do
evento naqueles carros, consegui fala com o responsável pelo
transporte e ele me disse que já estaria enviando um transporte para
me pegar, as 23hs eu anda estava aguardando no aeroporto, as 23:45
consegui identificar uma pessoa do evento, fui falar com ele que eu
estava aguardando dês das 16h da tarde, ele disse que estava ali para
pegar uns convidados internacionais, que iria ver o que poderia fazer
por mim, até que ele disse que iria fazer esse favor de me levar para
o lugar onde eu iria ficar.
Heis que ele chega em um ginásio na cidade e me diz, e ai que você vai
ficar, já fiquei espantado, local totalmente escuro, totalmente esmo,
me deixou lá e foi embora, a única informação é, que a pessoa que iria
abrir o dormitório estava chegando, e me deixou la, sozinho, sem
ninguém do evento, fiquei uma hora ali, sentado parado mais de uma
hora, com o risco de ser assaltado ou qualquer outra coisa já que o
ponto é um local de grande quantidade de usuários de drogas, logo
depois chegou uma senhora indígena, que também demonstrou a sua
insatisfação pela falta de atenção por parte da equipe de organização,
me pedindo desculpas pela demora, ao entrar no dormitório outra
surpresa, um monte de camas com colchões jogados, camas quebradas,
pode perceber que ali não foi preparado para ninguém dormir, fui
dormir com uma mega dor de cabeça pela descarga de energia.
No dia seguinte reunião com os voluntários, novamente pode perceber
que que a equipe estava meio perdida, fui questionado qual etnia
indígena eu iria ficar, informei que eu havia me escrito para ser
agente de cultura, já que não tinha experiência de atuação direta com
nem uma etnia, foi orientado a esperar que eles iriam ver o que iriam
fazer por mim.
Passou um dia e eu lá, colocado na geladeira, sem um blusa do evento
ou credenciamento, jogado pra lá e pera cá, fui orientado pela
coordenadora dos voluntários Milena a procurar a coordenadora de
comunicação Cremilda que muito espantada disse que ali não tinha nada
para mim, que irá ver o que poderia fazer por mim, depois de umas 3
horas de espera, ela disse que ali ela não iria precisar de mim, até
que o Marcos Gouveia, diz que já que eu tinha experiência em produção
eu poderia ajuda-lo, porem para eu ajuda-lo, porem eu teria que ter um
crachá ou uma camisa do evento, já que todo acesso é restrito por
preservação doas etnias, logo depois fui acredite fui expulso da sala,
alegando que eu não poderia ficar ali, fiquei lá fora num calor de
quase 40° graus esperando ser atendido, sem café, almoço, já lá pelas
7 da noite o cacique da etnia Kanela estava sem Atachê (pessoa
responsável pelas etnias) mesmo sem ter experiência me ofereci para
ficar com eles, eles aceitaram, depois de 30 mim essa mesma Milena
veio e me disse que eu não iria ficar com aquela etnia que iria ver
outra coisa pra mim, novamente eu fiquei ali jogado sem nada pra
fazer, questionei, perguntei e me fiz presente e nada.
No dia seguinte, na hora de ir novamente para o local do evento, já
que os voluntario estávamos hospedado no tal ginásio, fui trancado
dentro no ginásio e nem adiantou gritar e berra para o ônibus esperar
foram embora e me deixaram trancado dentro do ginásio, isso era as 7
da manhã, liguei para o único contato que eu tinha, a MILENA e avisei
que eu havia ficado trancado no Ginásio, se na hora ele tivesse ligado
para o motorista ou para qualquer pessoas dentro do ônibus, poderia
ter voltado para me buscar, as 9 liguei novamente ela não me atendeu,
liguei novamente as 10hs, 11hs, 12hs, as 13hs ela me atendeu dizendo
que não teria ninguém para me pegar que eu deveria aguardar, as 14hs a
Milena chega abre a porta e diz segue o seu caminha, pois você não se
adaptou, e eu respondi, eu não me adaptei não, vocês não me adaptaram,
sai do rio para uma cidade onde vim ser voluntario me doar e fui
escorraçado e maltratado, ai que eu disse eu quero ir embora, preciso
de um carro para me levar para o aeroporto, daí o locaute final, ela
me desse que não teria carro para me levar para o aeroporto que eu
deveria me vira e foi embora me deixando ali em uma cidade totalmente
desconhecida sem saber o que fazer ou onde ir.
Agora eu pergunto isso é justo?
Eu participo de um edital de convocação, respeito todos os critérios,
comprovo meu tempo de experiência na área que eu me escrevi Agente de
cultura/Esporte, banco a minha viagem aérea, Mais de $1000, saio da
faculdade e do trabalho para ser humilhado?
Da emoção de poder me dor em um evento tão lindo, a profunda angústia
e frustração.

Leandro Oliveira
Produtor, Pesquisador e Gestor Cultural, Membro do Conselho Nacional
de Cultura – Setorial Culturas Populares, Presidente Fundador da
Associação Cultural Panelas. Bacharel em Ciências Social com Ênfase em
Produção e Políticas Cultural IUPER/UCAM.


Atenciosamente,

Leandro Oliveira

Produtor, Pesquisador e Gestor Cultural, Membro do Conselho Nacional
de Cultura – Setorial Culturas Populares, Presidente Fundador da
Associação Cultural Panelas
Bacharel em Ciências Social com Ênfase em Produção e Políticas Cultural
IUPER/UCAM.

(21) 9243-1324 (claro) / 8140-2262 (tim)
Skype: faleleandroproducao
Blog: http://leandroproducao.blogspot.com.br/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *