Menu

Introdução à Filosofia da Idade Média

Nenhum Comentario

Priscila O de Xaver Sccuder e seu companheiro

Hoje, dia 23 de Janeiro estamos ainda emocionados com o convite aceito, e a presença da Priscila (foto acima) que nos levou a uma viagem de melhor conhecê-la na sua trajetória que a tornou tão próxima de nós. Ensinou-nos, a partir da inspiração de Nietzsche que sempre podemos responder a cada momento a pessoa que nos fomos construindo de forma dinâmica, de sorte que estamos marcados por uma trajetória em nosso corpo que nos faz ser o que podemos ser, ao mesmo tempo que nos abre para nos redefinir nos muitos que nos habitam e que somos, das paisagens que nos tomaram, do que nos serviu de “alimento” no corpo e alma.

Criamos laços, Priscila, pois cada um de nós veio da mesma raiz, afro-indígena que nos toma o corpo e o coração. E, queremos que você nos acompanhe, nos ensine a manter aquilo que paulo Freire diz que é o mais importante para sermos educados e aprendermos sempre pelo nosso corpo molhado de história, que esta mesma história da gente não passe por nós, ao lado, mas nos contamine, nos ALTERe (alter: o outro) que diferente de mim, também me constitui a partir da relação que estabelecemos com ele, se de carinho e ternura, ou de ódio e violência. Você escolheu o lado que queremos todos estarmos, e que você diz que aprendeu da arte que bebeu desde a infância, na Beija-Flor de Nilópolis de onde você nasceu, da presença batista, da presença no Mato Grosso, da presença das mulheres fortes, sua vó e sua mãe; com muitos filhos…

Nosso grupo da Pedagogia do I ANO de 2013, formado por homens e mulheres, muitos ainda jovens, estão fascinados pelos testemunhos dos seus professores e professoras que nos precederam, e por aqueles que já estiveram junto de nós, de modo especial o Edson Benedito Rondon – doutorando (UFRGS) e agora Priscila O. de Xavier Sccuder – também doutoranda (UFMT), ambos mostraram a dimensão de uma seriedade acadêmica, de formação esmerada, de leituras com autores complexos inseridos nos seus tempos, e nos provocam a (re)descobrir nas fontes da nossa história pessoal,  familiar e cultural, a fonte preciosa da construção de nossa profissão voltada à Educação.

Disponibilizo a vocês dois textos:

33. PASSOS,Luiz Augusto. Introdução à História da Idade Média UFMT, 2013

34. PASSOS, Luiz Augusto. Educação Popular: um projeto de Rebeldia e Alteridade. (Revista de Educação / (PPGE/UFMT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *