Menu

Eco Ar-Te para reencantamento do mundo

Nenhum Comentario

Quarenta e três artistas fazendo AR-TE

Olá pessoal
peço perdão pela divulgação da causa própria, mas que também acolhe parceiros brasileiros e mundiais de forma bem criativa: ecologismo e arte no trançado da ECO-AR-TE para que mundo se reencante.

  • diversos artistas abordando a temática ambiental
  • diversos educadores ambientais se aproximando da arte!

novas faces de pessoas num enredo muito interessante de contos, poesias, pinturas, cinema, fotografia, dança, espiritualidade e corpo! muitas imagens e textos revelando nossa criação.

agradeço a parceria neste sonho e convido-os para uma leitura mais prazerosa deste casamento indissolúvel entre arte e ambiente.

ps – agradeço a divulgação prévia que circulou nas listas, mas eu estava aguardando ver o livro antes – MATERIALIZADO nas minhas mãos, para poder agradecer e dizer o quanto o livro está bonito! é o livro mais bonito do mundo!!! 🙂 

abraços e fraternuras
……………

http://www.livrariarima.com.br/Default.asp?Menu=ProdutoDetalhes&ProdutoID=2255225

Eco-Ar-Te para o Reencantamento do Mundo (ref. 2254090)
MICHÈLE SATO (Org.) – 2011
Descrição
Esta obra, fruto do trabalho de 43 criadores, conta com um conjunto de significações distribuídas por seis poéticas: texto, imagem, paisagem, poesia, som e corpo. E, de fato, considerar a arte é combinar as imagens, objetos, ideias, sonoridades e sentimentos numa relação intrínseca ao domínio da imaginação e da criação. Este livro quer ressignificar nossos olhares, convidando para as trocas de lentes a fim de que a realidade seja percebida de uma maneira diferente.
O título ´ECO-AR-TE´ foi escolhido por revelar três dimensões que conectaram os autores e, espera-se, tenham ressonâncias em outras pessoas: Ecologismo (eco) e Arte (ar) querendo se prolongar para além de nós mesmos (te). A eco-ar-te quer permitir que as pessoas percebam os fenômenos, as situações, os danos ambientais e as injustiças sociais, num jogo daqueles que não estão habituados a ter vitórias, mas jamais conseguiram perder as esperanças. O desejo é ir além da realidade cruel, resgatando o primitivo, os sonhos e as máscaras.
Sem a pretensão de guiar-se pelas teorias, escolas ou tendências, a proposta desta obra é alçar voos livres celebrando a intuição da arte como significados da Educação Ambiental. Como Michael Lowy, almeja-se uma revolução eco-socialista que aposta na mágica ideia de reencantamento do mundo. Não se trata de uma reinvenção da luz, mas de um jeito diferente de percebê-la. Como diria Lautréamont, é um convite para lançarmos um novo olhar que perceba que a poética da Educação Ambiental deve ser feita por todos.
A luta ecologista pode ser árdua, mas nada retira dela sua esperança em um mundo mais feliz.
Especificações
360 páginas – 21×28 – Colorido – ISBN 978-85-7656-199-6

Sumário

Prefácio IX
Po-éticas da educação ambiental 2
Michèle Sato

I. POÉTICA DO TEXTO

Carta da Terra 11
Leonardo Boff
Ciência e Cultura 21
Marcos Terena
Educação Ambiental, Sociedade de Risco e o Desafio de Inovar para
Modificar Práticas Sociais 28
Pedro Roberto Jacobi
Lições da Ciência Natural: A Arte de Aprender no Ambiente e com o Ambiente 35
José Gutiérrez-Pérez
Movimento Artistas pela Natureza (MAPN) 46
Arte Popular: Trilheira para a Arte/Educação/Ambiental 52
Imara Pizzato Quadros
No Fio da Navalha 63
Luiz Antonio Ferraro Júnior
Sonhos de Eduardo 73
Gabriel Felipe Kalb; Ivo Alberto Kalb
Civilização X Barbárie 82
Wladimir Gomide

II. POÉTICA DA IMAGEM

Não Há Regras, Apenas Materiais 87
Burnell Yow
Surrealismo 94
Bernard Dumaine
Surrealismo na Veia de Magritte 100
Flávio Zanelatto; Michèle Sato
Educação Ambiental e Suas Relações com o Universo da Fotografia 108
Martha Tristão; Vitor Nogueira
Arte, Sociedade e Educação Ambiental: Um Reflexo das Organizações
Sociais, Económicas e Políticas 116
Joaquim Ramos Pinto; Manuela Galante
O Cinismo do Mundo 134
Liete Alves

III. POÉTICA DA PAISAGEM

Crônicas de Viagem 146
Isabel Carvalho
Como Era Verde o Meu Sahel 167
Aidil Borges
A Arquitetura da Floresta 177
Valionel Tomaz Pigatti
Ponte da Misarela 181
Alfredo Mendes
Representaciones Sociales, Cultura y Gestión del Agua: Algunas Notas para el Debate
Sobre Una ¿Nueva Cultura del Agua¿ en América Latina 185
Nidia Piñeyro
As Metáforas da Água e a Mediação entre Natureza e Cultura 196
Vera Lessa Catalão

IV. POÉTICA DO SOM

Madame Butterfly: De Benjamin Franklin Pinkerton a Bush ¿ O Ocidente
no Banco dos Réus 203
Luiz Augusto Passos
Música Ambiente e Ambiente Musical (em Contraponto) 225
Herman Hudson de Oliveira

V. POÉTICA DA POESIA

Sou Ave Plantada no Céu 234
Gaivota
Poética Ambiental 239
Artur Gomes
Momentos Poéticos 249
Virgínia Fulber; Eliana de Faro Valença
Haikais da Natureza 261
Jiddu Saldanha
A Poética do Cerrado ¿ Uma Antologia de Autores Que Cantaram esta
Antiga, Rica e Frágil Região Core do Brasil 266
Rômulo Pinto Andrade
Poesia Reunida 284
Pat Mousinho; Ramón Vargas; Ricardo Vicente; Michèle Sato

VI. POÉTICA DO CORPO

Um Extrato de Âmbar Que Atravessa os Séculos 298
Michèle Sato
A Arte de Educar com Bonecos na Educação Ambiental 309
Maria Neuma Clemente Galvão
Escultura e Educação Ambiental 319
Rachel Trajber
Corpo, Mito e Ancestralidade: O Legado do Viajante 325
André Sarturi
Na Voragem do Olhar: Uma Visão Mitopoética dos Elementos 334
Luciana Pessanha Pires
Viagens entre os Mundos 338
Ivan Belém; Michèle Sato

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *